"Se não estás prevenido ante os meios de comunicação, te farão amar o opressor e odiar o oprimido" Malcom X

terça-feira, 5 de julho de 2011

Líbia - uma verdade amarga sobre o país em guerra


Os líbios apoiam inteiramente Muammar Khaddafi – um conhecido cineasta de documentários italiano, Flúvio Grimaldi, desmascarou o mito principal sobre a situação na Jamahiriya da Líbia.
"O embaixador em Roma acabou por ser um dos poucos de alto escalão líbios que alegremente passou para o lado do parceiro forte. “Se você quiser um visto para Benghazi você vai obtê-lo rapidamente. Se você quiser ir para Trípoli não haverá nenhum visto para você”, declarou a embaixada. Juntei-me a um grupo de britânicos que também queria saber a verdade sobre o que está acontecendo no país e entrei por outra via”, escreveu Grimaldi.
A expedição viajou para a Tunísia, de onde se dirigiu à Líbia por terra. O itinerário foi solicitado pela imprensa ocidental - o objetivo do grupo era visitar lugares onde a situação era especialmente difícil, de acordo com a mídia.
Em Trípoli os visitantes estrangeiros eram controlados por funcionários jovens do regime atual nomeados para ficar com o grupo. No entanto, Grimaldi e seus companheiros de viagem foram autorizados a parar em qualquer lugar e falar com qualquer pessoa sobre qualquer assunto. Esta liberdade não está disponível para os jornalistas credenciados em Benghazi.
Unidade nacional e resolução firme para defender seu país foram o que impressionou o grupo acima de tudo. As aulas não pararam por um segundo, desde o início dos conflitos e agora as escolas também oferecem uma formação complementar de como usar armas. Esta formação é tanto para meninos quanto para meninas.
Cidades na costa do Mediterrâneo, devastadas e cortadas pelas tropas de Khaddafi, de acordo com a mídia ocidental, na realidade, são lugares muito pitorescos com um bom sistema de abastecimento de água e agricultura forte. Em qualquer cidade supostamente oprimida, as pessoas disseram ao jornalista italiano que ouviram sobre a tirania de Muammar Khaddafi apenas por seus parentes e amigos que vivem no exterior e um verdadeiro desastre veio somente quando os bombardeios da OTAN começaram com o objetivo de "proteger o povo". Cada entrevista, Flúvio Grimaldi diz, gradualmente destruiu a história ocidental da agressão horrível do líder líbio.
A igreja católica local se tornou um lugar de peregrinação. Mulheres muçulmanas visitam o
sacerdote romano todos os dias e pedem para ele dizer ao mundo a verdade sobre a situação no país. Os líbios pediram para o grupo de Grimaldi para fazer o mesmo.
Os cidadãos líbios já defenderam voluntariamente seu país por seis meses. As pessoas locais dizem que o exército está fazendo seu melhor para falar à população civil para não tomar parte nas hostilidades. A população local não se parece com garotos analfabetos intimidados, pelo contrário, Grimaldi destacou a dignidade e honra de seu posicionamento e o nível de politização, em especial dos estudantes universitários.
Já foi mencionado que a situação na Líbia não é tão ruim como Obama e seus aliados da OTAN estão tentando pintá-la. No entanto, agora que o Senado dos EUA deu permissão para Obama estender a operação na Líbia por mais um ano e a coalizão está persistentemente procurando a prova de crimes de sangue de Khaddafi, o relatório de uma testemunha ocular é muito apropriado.
Fonte: A Voz da Rússia (em inglês)

Postar um comentário

Feed do Substantivu Commune

Siga-nos por E-mail