"Se não estás prevenido ante os meios de comunicação, te farão amar o opressor e odiar o oprimido" Malcom X

quinta-feira, 20 de abril de 2006

USINA DE ANGRA I DESLIGADA MAIS UMA VEZ

Nesta última semana estive, no Rio de Janeiro, em contato com um engenheiro mecânico da Siemens/Westinghouse Service Corporation que está dando assistência técnica à Eletrobrás Termonuclear S.A. - Eletronuclear, na inspeção e manutenção das turbinas e geradores elétricos nas usinas de Angra I e Angra II. Ele, que é um dos diretores de marketing da companhia, estava no Brasil para auxiliar os cientistas que trabalham na Usina durante as paradas de revisão que são feitas periodicamente em Usinas com as de Angra. Nos encontramos através de uma amiga em comum, onde fiquei hospedada. Ele é uma figura interessante, um americano típico (fala pouco um portunhol, conversamos quase todo o tempo em inglês) porém, em função das viagens que faz, muito antenado com o mundo, com uma certa visão humanista. Diz que acha George Bush um idiota, assim como boa parte dos americanos que acreditam nele, e disse que a escola aliena a população com excesso de nacionalismo ufanista.

No último dia 16, ele avisou que a Usina de Angra I ficaria sem operar com previsão de retorno em cerca de duas semanas. Segundo ele, é normal que haja uma parada periodicamente e que o trabalho da Siemens é justamente dar o apoio técnico para que a parada tenha o menor custo possível. Um dado interessante é que ele comentou que a Siemens possui clientes que necessitam de consultoria na geração de energia nuclear em todo o mundo. Todos, sem exceção, costumam "chorar" preços mas o Brasil, mesmo pechinchando, é para eles o que paga o melhor preço. Outro comentário que considero relevante dentro da "conjuntura mundial" em que vivemos, é que existe uma prática nas grandes companhias de não misturar executivos em regiões conflituosas. Ele, por exemplo, responsável por áreas no Oriente Médio como Dubai, Arábia Saudita e Egito, não pode realizar o mesmo trabalho nas Usinas de Israel. Na verdade, ele não pode sequer visitar o país, mesmo como turista.

Meu mais novo colega de chopp carioca, me deu uma aula interessante sobre as vantagens da energia nuclear, enfatizando que a maioria dos "ambientalistas" não entendem tecnicamente o seu funcionamento. Ele sabia da minha posição mas nossa discussão foi, apesar de polarizada, bastante interessante. Argumentei que, da última vez em que pararam a Usina (se não me engano em fevereiro do ano passado), foram 66 dias sem gerar energia o que representa um custo altíssimo para o país. Além disso, as usinas nucleares são caras de se manter, sujam o meio ambiente, são perigosas e ultrapassadas. Na minha opinião o governo federal deveria abandonar definitivamente seu programa nuclear e utilizar energias positivas como solar, eólica e biomassa. Porém, ele me explicou que a Usina representa um perigo mínimo para o meio ambiente e que são mais seguras do que qualquer outra atividade humana como fumar, dirigir, voar. Além disso, ele argumentou que houveram apenas dois grandes acidentes sérios no mundo (incluindo Chernobyl) e que não eram equipadas com as turbinas e geradores que existem hoje. Discorreu também sobre o fato da energia nuclear ser a que representa a melhor relação custo-benefício sendo todas as outras mais caras e com menor potencial de geração de energia. Por outro lado, em um momento de nossa conversa, comentou da imensa insalubridade de quem atua dentro da usina. Qualquer pessoa precisa vestir uma roupa especial que lembra os filmes de Stanley Kubrick e ficar por no máximo cinco horas dentro da área de maior exposição proibido de beber ou comer qualquer coisa, ou fumar ou mesmo ir ao banheiro. Não é permitido ficar mais do que este tempo e a pessoa deve passar depois por um período de 24 horas de descanso, longe da Usina. Aliás, este era um dos motivos pelo qual ele estava trabalhando em Angra, intercalando com um ou dois dias no Rio de Janeiro (sem deixar de aproveitar a praia, o sol, irresistíveis nesta época do ano).

Fiquei impressionada com as fotografias que ele me mostrou das fissuras que existem dentro dos geradores principais de Usinas existentes na China e na Índia. No Brasil também existem fissuras mas não vi as imagens. No entanto, ele disse que são normais e não representam perigo algum. À despeito de termos nos tornado amigos, não pude deixar de lhe dizer que boa parte dos brasileiros não vê com bons olhos nosso programa nuclear e que o erro começou ainda no Governo Geisel que tornou o acordo extremamente desvantajoso para o país. Por outro lado, participamos pouco das atividades, com exceção do benefício da geração de energia porque a maioria dos cientistas e empresas que investem dentro da Usina são estrangeiros.

Postar um comentário

Feed do Substantivu Commune

Siga-nos por E-mail