"Se não estás prevenido ante os meios de comunicação, te farão amar o opressor e odiar o oprimido" Malcom X

terça-feira, 9 de setembro de 2008

Sutileza por Banksy





No dia 7 de setembro, participei com o Batala (banda de percussão) do desfile cívico. Depois me juntei a alguns companheiros que compunham o Grito dos Excluídos do qual já participei em vários anos em cidades diferentes. Ali, vi um rapaz que tatuou essa imagem nas costas, do artista inglês Banksy. Perfeita.

Banksy é um artista de graffiti que, apesar de se manter no anonimato, sem nunca se ter visto uma foto dele, é um dos principais artistas mediáticos da atualidade. Ele é conhecido pelas suas pinturas em animais vivos, por colocar o seu trabalho às escondidas em famosas galerias de arte ou por suas pinturas associadas à crítica social ou política, encontradas do dia para a noite em vários locais espalhados por diferentes lugares do mundo.
Acredita-se que tenha nascido em 1974, mas existem grandes incertezas públicas relativamente à sua biografia inclusive seu verdadeiro nome e localização. Banksy combina nas suas técnicas de street art, o graffiti com stencilling (aplicação de spray com o auxílio de um molde ou template, de forma a que certos elementos sejam sempre idênticos de pintura para pintura. De fato, hoje em dia as pinturas de Banksy sao facilmente identificáveis para quem já conhece um pouco do seu trabalho, dada a técnica distintiva utilizada. As suas imagens, quer sejam na rua, em murais, ou através de desenho no papel, têm geralmente um caráter humorístico e por vezes são combinadas com slogans alusivos. As mensagens transmitidas sao em sua maioria anti-guerra, anti-capitalistas ou anti-constituição. Faz parte também das suas imagens (ou esculturas) aproveitar certos objetos já existentes no local utilizando-os como parte da própria imagem ou estrutura de arte. A imagem acima o "Flower Chucker", é talvez, seu trabalho mais conhecido. Aqui no blog vc encontra outras imagens (buscando pelo nome dele) postadas anteriormente.

Postar um comentário

Feed do Substantivu Commune

Siga-nos por E-mail