"Se não estás prevenido ante os meios de comunicação, te farão amar o opressor e odiar o oprimido" Malcom X

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Diplomacia do Irã nega proibição de livros de Paulo Coelho no país

No último domingo, o escritor Paulo Coelho publicou em seu blog que soube por seu editor, que seus   livros haviam sido proibidos no Irã. O impacto da notícia causou repercussão nas relações diplomáticas bilaterais entre Brasil e Irã, fazendo com que o Ministro das Relações Exteriores, Antônio Patriota, tenha declarado que iria tentar descobrir o motivo da proibição.

No entanto, hoje, a diplomacia do Irã negou oficialmente o ocorrido, acusando o editor Arash Hejazi de haver produzido uma notícia falaciosa. Em conversa com um diplomata iraniano, durante entrevista para a Rádio Cultura FM, este afirmou ainda que o editor iraniano, Sr. Hejazi, é acusado de homicídio e por esse motivo fugiu do Irã, vivendo hoje na Inglaterra. 

O áudio da reportagem que foi ao ar às 18h, está abaixo.




Como lembrou o diplomata iraniano, Paulo Coelho já vendeu, aproximadamente, seis milhões de livros no Irã. Além disso, nos últimos dez anos, quase todas as suas obras foram traduzidas para o Persa. Seria realmente inócua, à essa altura, qualquer tentativa de proibição dos livros no país.

Postar um comentário

Feed do Substantivu Commune

Siga-nos por E-mail