"Se não estás prevenido ante os meios de comunicação, te farão amar o opressor e odiar o oprimido" Malcom X

quarta-feira, 1 de julho de 2009

Quem diria II

Deu na Folha agora há pouco:

"O Conselho de Ética da Câmara dos Deputados rejeitou, na tarde desta quarta-feira (1), por 9 votos contrários e 4 a favor, com uma abstenção, o relatório do deputado Nazareno Fonteles (PT-PI), que pedia a cassação do mandato do deputado Edmar Moreira (sem partido-MG) por quebra de decoro parlamentar(...). O advogado de Edmar Moreira, Sergio Ribeiro, argumentou que no momento em que as irregularidades foram feitas elas não eram ilegais e pediu o arquivamento do processo. "Se precisou de uma norma posterior proibindo a contratação de empresa própria, é porque antes isso era permitido", afirmou. Segundo ele, "o princípio da legalidade é aplicado aqui sim, só que numa interpretação diferente da do relator". O deputado Moreira Mendes (PPS-RO) afirmou que a pena sugerida pelo relatório, a perda do mandato, "é desproporcional". "O mandato é meu e vou votar de acordo com minha consciência. (...) Mendes, que alegou falta de provas para condenar Moreira, foi acusado em junho, pelo Ministério Público de Rondônia, de envolvimento em desvios de dinheiro público por meio de vendas irregulares de passagens aéreas à Assembleia Legislativa do Estado."

Interessante a postura do deputado Moreira Mendes. Sua tentativa de amenizar a conduta política do Edmar Moreira, tem claramente ligação com o fato dele mesmo ser alvo de denúncia do MP (me lembra um pouco um conhecido magistrado que defendeu o fim do uso das algemas, dizem as ás línguas, com a intenção de se prevenir de ter um dia que usá-las).

A cereja do bolo foi ouví-lo dizer que "recebeu pressões fortíssimas de setores de seu partido (...)" e que "recebeu ligação do presidente Roberto Freire para reconsiderar o voto e aceitar a orientação partidária nessa questão mas o mandato é meu e vou votar de acordo com a minha consciência". Puxa... dá pra dizer, pelo menos, que ele é bem "macho" né. Ou não?

Mas, eu disse cereja do bolo? Não, a cereja mesmo é o PPS tê-lo como representante de sua legenda no Conselho de Ética da Câmara. O PPS - Partido Popular Socialista, do qual aliás, também sou filiada, é aquele que se intitula "um partido decente". Longe de querer jogar pedras, o que estou questionando é: esse lema é corroborado por esse episódio?

Aí, passando os olhos pelo noticiário, eis que me deparo com a seguinte notícia do Paraná Online: "PPS decide punir deputado Felipe Lucas". E qual foi a mancada do Felipe? Segue trecho da matéria:

A executiva estadual do PPS decidiu aplicar uma punição ao deputado estadual Felipe Lucas, que afrontou a orientação do partido ao votar contra as emendas ao projeto de reajuste dos servidores públicos estaduais, aprovado no mês passado. Pelo período de noventa dias, Felipe Lucas não poderá se manifestar ou votar nas reuniões do partido, que são realizadas semanalmente. Felipe Lucas votou junto com o bloco aliado ao governo, rejeitando as propostas que ampliavam a reposição salarial de 6% para 15% e que eram apoiadas pelo grupo de oposição. A Comissão de Ética do partido foi acionada e o parecer recomendando uma reprimenda ao deputado foi aprovado na reunião de anteontem. O deputado Douglas Fabrício, um dos integrantes da bancada do PPS e vice-presidente do partido, considerou branda a pena de Lucas. Fabrício disse que esta não foi a primeira vez que Lucas desrespeita a posição do partido e constrange os deputados da bancada do PPS, sempre se alinhando à bancada do governo(...).


Bom, vou me abster de comentar e aguardar a decisão do partido sobre o assunto. Mas, quero dizer uma coisa, nessas horas eu simplesmente AMO essa coisa chamada "rede de notícias" por quem temos o privilégio de ser bombardeados (num ritmo frenético) todos os dias.

É ruim mas é bom.

Postar um comentário

Feed do Substantivu Commune

Siga-nos por E-mail